KYC, IA e Blockchain

04/08/2017 Por: Luiz Gasparelo

Reunir e validar os dados necessários para cumprir o Know Your Customer (KYC) não é fácil. Os documentos podem ser forjados. E as práticas como a lavagem de dinheiro baseada em comércio dificultam o rastreamento do fluxo de dinheiro.

Os sistemas tradicionais baseados em regras que as instituições financeiras usam para identificar riscos estão se mostrando ineficientes para lidar com os desafios atuais. O grande volume de informações que deve ser coletado, rastreado e monitorado continuamente para o KYC está gerando uma grande quantidade de alertas falso-positivos que estão esticando orçamentos e prazos para atingir a conformidade.

A escalada do custo nos processos tradicionais de KYC geram novas oportunidades. Aqui estão três das mais recentes tecnologias KYC e Due Diligence (CDD) que estão mudando a forma como as instituições reúnem, verificam, monitoram e armazenam informações do cliente.

Inteligência artificial (IA)

IA é a base de muitas novas tecnologias para KYC e CDD. Os sistemas baseados em IA são dinâmicos. Eles incorporam conhecimentos prévios e continuamente “aprendem” (Machine Learning) e atualizam regras com base em novas informações para prever ações futuras. As soluções de IA podem processar grandes quantidades de dados rapidamente e são eficazes na detecção de links ocultos e na identificação de anomalias, o que torna a tecnologia ideal para onboarding e monitoramento.

Embora as soluções de IA possam processar dados complexos mais rapidamente do que humanos, a IA não substituirá a equipe do banco por alertas de investigação e decisão, pelo menos não por enquanto. Mas, a IA pode agilizar as operações automatizando processos manuais, além de fornecer informações adicionais para apoiar a investigação de alertas.

Biometria social

As instituições financeiras descobriram o que os head hunters conhecem há algum tempo: usando a “biometria social” – os passos de uma pessoa coletada através do Google, Facebook, Linkedin e outras redes sociais – pode fornecer informações valiosas sobre um indivíduo que não pode ser extraído de outras fontes.

A biometria define uma ampla categoria de ações ou características humanas que podem ser usadas para identificar indivíduos, inclusive biometria social, varreduras de íris, padrões de teclas, voz e outras medidas.

A eficácia da biometria social para a verificação da identidade baseia-se na premissa de que é mais difícil criar uma rede social inteira desenvolvida em uma personalidade falsa do que alterar documentos de identidade estáticos e informações de suporte tradicionalmente usadas no KYC. Isso torna mais fácil detectar anomalias na presença on-line de uma pessoa do que seriam através de dados convencionais. A biometria social tem o benefício adicional de capturar informações sobre jovens e desbancarizados, que têm pouco histórico de crédito, mas muitas vezes têm uma presença social.

Blockchain

Blockchain tem potencial para revelar-se um dos maiores disruptores no setor de serviços financeiros. Isso permitirá que os bancos acompanhem a mudança de regulamentação, validem rapidamente as informações do cliente para o KYC, eliminem processos duplicados e proporcionem uma melhor experiência de cliente no processo de onboarding.

A tecnologia Blockchain oferece uma maior eficiência e automação ao processo de KYC. O compartilhamento de documentos e informações entre as instituições financeiras e terceiros acontece sem intermediários e em tempo quase real. Tudo é transparente e os registros estão disponíveis publicamente, tornando mais fácil provar conformidade ou detectar bandeiras vermelhas indicando possíveis lavagens de dinheiro ou outras atividades ilícitas.

Sobre o autor:

Luiz Gasparelo

Luiz é responsável pela área de Desenvolvimento de Produto. Com 20 anos de experiência no mercado financeiro brasileiro, aplica seus conhecimentos comerciais para o desenvolvimento e implementação de produtos no Bradesco, YMF, DATASUL e TOTVS.

<< Voltar ao blog