O papel estratégico do custodiante na gestão de ativos

Por Alexandre Farah Diniz on

Responsável pela intermediação das transações de compra e venda de ativos financeiros, o custodiante exerce um papel importantíssimo no processo de movimentação e proteção de ativos da pessoa física e jurídica.
Nesse sentido, as instituições financeiras que realizam essa atividade tornam o processo de investimento mais seguro, já que são elas próprias que fazem a gestão dos dados.

Conforme o último levantamento da B3, nos últimos anos houve um crescimento expressivo no número de pequenos investidores. Isso porque desde 2019 a quantidade de investidores saltou de 1 milhão para mais de 3,8 milhões.
A previsão é que esse cenário se mantenha e que o crescimento continue, assim como a demanda por serviços relacionados ao mercado financeiro.Dessa forma, torna-se ainda mais evidente a importância dos agentes na gestão de ativos.
Por isso, veja a seguir qual o papel do custodiante nos investimentos e como ele contribui para a gestão estratégica de ativos.

O papel do custodiante

É importante estar sempre atualizado sobre o funcionamento dos processos, bem como as transações de ativos financeiros e suas particularidades, e é aqui que o custodiante entra em cena.
Esse agente irá garantir ao investidor que todos os seus investimentos sejam guardados de forma segura, além de atuar diretamente no controle e na conciliação dos mobiliários do cliente.

O custodiante também é responsável por registrar todos os títulos e ativos negociados e enviar um relatório dessas informações para os seus gestores e administradores.
Outra atribuição do custodiante que merece destaque é a de assegurar permanentemente a qualidade dos seus processos e sistemas informatizados, e junto a isso manter e mensurar todas as ocorrências como incidentes e erros em suas operações.

Regulamentação

Todo agente custodiante é regulado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Nesse sentido, podemos citar a Resolução nº 32/2021 que trata das prestações de serviços das instituições custodiantes e revoga a Instrução CVM nº 542/2013.
Essa resolução trata principalmente das regras de funcionamento, conduta e penalidades voltadas à figura do custodiante. Além disso, existe o Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas dos Serviços Qualificados ao Mercado de Capitais.Nesse Código, a ANBIMA dedica uma seção voltada especificamente à custódia para emissores e investidores e explica de forma bastante resumida as atribuições do custodiante em cada uma dessas situações, reforçando os principais pontos e regras determinadas pela CMV.

Por fim, temos o Regulamento do Balcão B3 onde consta nos artigos 194 a 199 todas as atribuições do custodiante, sem prejuízo das regras da CVM.

Papel estratégico do custodiante na gestão de ativos

Primeiramente, é importante entender a composição dos fundos de investimentos. Nesse sentido, podemos destacar cinco agentes:

Gestor

É o responsável por gerenciar e elaborar estratégias em fundos de investimentos de terceiros. Além disso, esse profissional faz as negociações de acordo com a sua percepção de mercado, a fim alcançar os melhores rendimentos para os cotistas.

Cotista

Esse é o investidor final, ou seja, o que é de fato detentor da cota. Nesse caso, independentemente do valor aplicado, os cotistas têm os mesmos direitos.

Administrador

Apesar de num primeiro momento se confundir com a função do gestor, o administrador é aquele que cuida do fundo e das suas movimentações, dando todo o suporte aos cotistas. Esse agente é geralmente uma pessoa jurídica.

Auditor

É o profissional ou empresa que audita os documentos e contas do fundo. Essa auditoria acontece anualmente e precisa seguir as normas específicas da CVM.
Para exercer essa função como pessoa física, o auditor precisa ser graduado em Ciências Contábeis, ter CRC ativo e estar em situação regular na CVM.

Custodiante

Como já mencionado aqui, o custodiante é uma empresa que faz a intermediação de compra e venda de ativos financeiros. É também ele que guarda os ativos de um fundo.

Então, tendo em vista as funções de cada agente nos fundos de investimentos, fica mais fácil entender a importância da função do custodiante. Mas mesmo assim, iremos aprofundar o assunto para que você entenda ainda mais sobre o papel estratégico desse agente.

Custodiante: um grande estrategista

Em resumo, o custodiante é responsável por fiscalizar e acompanhar todo o processo de aplicação, desde a compra até o resgate das cotas. É ele que faz a análise de rentabilidade e envia informações dos fundos para os gestores e administradores responsáveis.

Além disso, também é papel do custodiante:
• Autorizar toda a movimentação de ativos na conta do investidor;
• Realizar e atualizar o cadastro do investidor na B3.

Assim, se o grande medo do investidor é se equivocar, o serviço do custodiante é a garantia de mais tranquilidade e segurança nos investimentos.
Por fim, sabendo da importância desse agente na administração de investimentos, nada melhor do que contar com a tecnologia para agilizar e otimizar processos.
Pensando nisso, a Britech oferece soluções tecnológicas para o custodiante alcançar uma melhor performance nos processos, através de uma plataforma integrada e personalizada.
Afinal, a concorrência está cada vez mais acirrada e acompanhar os avanços tecnológicos certamente é uma forma de se diferenciar no mercado. Conheça as nossas soluções.

Saiba mais agora!

Agende uma demonstração e explore como os relatórios certos, painéis que suportam decisões e ferramentas inteligentes podem ajudá-lo a impulsionar o crescimento e a satisfação do investidor.

Agende uma Demonstração

Agende uma Demonstração